Um caminho alternativo para uma cura

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Em 2010 chegaram as esperadas férias de julho! Eu e meu marido deixamos tudo planejado desde o início do ano, fizemos nossa rota de viagem, em qual estado iríamos passar primeiro para rever nossos queridos familiares e amigos. Nessa época morávamos em Mirassol do Oeste - MT e tínhamos que, em 30 dias, passear por Goiás, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Durante essas férias passamos por momentos felizes, de alegria e recreação.

Como já planejado, estava agendado meu atendimento médico em Campo Grande - MS para fazer os exames normais de rotina. Durante o período dos exames, eu estava tranquila, porém um pouco incomodada, pois sentia que algo não estava dentro da normalidade. As perguntas feitas e até mesmo as várias repetições do mesmo exame, me chamaram a atenção. Dois dias depois eu e meu marido estávamos na recepção do consultório aguardando o atendimento, quando minha médica, pessoalmente, chamou a mim e meu marido para entrarmos no consultório. Gelei por dentro! Por que ele teria que entrar junto comigo?

Com sua voz troveja Deus maravilhosamente, faz grandes coisas que nós não compreendemos.

Jó 37:5

Antes de continuar preciso passar um breve histórico familiar. Em 1998 minha mãe foi acometida de câncer de mama, passou por cirurgia, quimioterapia, radioterapia, e cinco anos de tratamento medicamentoso de uso oral. Graças ao nosso bom Deus ela venceu esse mal. Em 2007 minha irmã mais nova, com 25 anos, foi acometida de câncer de mama, também passou pelo processo cirúrgico, quimioterapia e radioterapia. Em 2008, ainda em tratamento e passando por abalos emocionais devido a doença da minha irmã, minha mãe foi acometida de um outro câncer (de intestino). Dentro de um período de dez anos, era o terceiro caso na família. Em 2010, tanto minha mãe quanto minha irmã se encontravam em tratamento de CA em uso medicamentoso oral.

A minha médica tinha conhecimento do meu histórico familiar relacionado ao CA de mama e, no consultório, ela explicou que o resultado do exame apresentou dois nódulos na mama direita, dois nódulos na mama esquerda e dois nódulos na tireoide, e que iria solicitar a biópsia de um dos nódulos da mama, pois sua descrição era suspeita. Não consigo definir o sentimento que tive naquele momento, pois estava passando mil coisas pela minha cabeça. Como seria a reação da minha mãe e da minha irmã se o resultado da biópsia fosse tumor maligno? Entrei em desespero. E meu trabalho? E minha vida? Por que isso? E agora? Senhor, o que vou fazer?

Filho meu, atenta para as minhas palavras, às minhas razões inclina o teu ouvido. Não as deixe apartar-se dos teus olhos, guarda-as dentro de teu coração, pois são vida para os que a acham e saúde para seu corpo.

Provérbios 4:20-22

Retornamos para Mirassol do Oeste sem falar sobre esse assunto com ninguém. Conversei com meu marido que, primeiramente, iria buscar a orientação de Deus para, em seguida, tomar uma decisão sobre como, quando e onde iria fazer o tratamento. Seguiram-se 30 dias de oração, lágrimas e intensa entrega e comunhão com Deus, e cada dia que se passava eu sentia mais paz, tranquilidade e confiança para minha tomada de decisão. Na época, ainda usava produtos lácteos, açúcar e glúten. Nesse período iniciei algumas mudanças e adequações na alimentação e comecei a praticar os oito remédios de Deus na minha vida.

Portanto, quer comais, e bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a Glória de Deus.

1 Coríntios 10:31

Em setembro, comuniquei ao meu marido que não iria seguir o protocolo da medicina tradicional, pois estava forte e determinada o suficiente para fazer o tratamento natural. Sabia que essa força não era minha e acreditava muito nela. Meu marido deu-me o apoio que precisava, e daí por diante as coisas foram acontecendo de forma muito rápida e a meu favor; como se Deus estivesse na frente facilitando e fazendo fluir todas as coisas conforme a Sua vontade. Consegui negociar meu desligamento da empresa e receber todos meus direitos de forma integral. Em outubro, mudamos para Cachoeira Alta – GO, a fim de ficar mais próximos de nossos familiares. Conversei sobre a decisão com minha médica, que de forma sensata me disse: “Como sua amiga vou te apoiar e acompanhar seu caso, mas como médica digo que você tem que fazer a biópsia”. Porém, não fiz a biópsia e sim, o planejamento do meu tratamento natural, com acompanhamento terapêutico e da minha médica e com exames laboratoriais a cada três meses.

Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu, a tua lei está dentro do meu coração.

Salmos 40:8

Em novembro dei início ao tratamento terapêutico natural na CLÍNICA OÁSIS PARANAENSE. Passei 20 dias internada. Fui muito bem assistida pela equipe profissional e me adaptei rápido ao tratamento: geoterapia, hidroterapia, as caminhadas, a alimentação saudável etc. Sentia a mão de Deus em tudo que fazia, pois antes de cada procedimento, cada ação como comer, beber, ou andar, fazia uma oração. Em dezembro, as clínicas de tratamento natural entram em recesso, porém continuei o tratamento em casa.

In January of 2011, I continued my treatment at Clínica do Boanerges, in Paraguay. I spent 40 days there, following the natural treatment protocols. I met wonderful people! The love and joy at that place are contagious; community and prayer are part of that establishment.

Após os 40 dias fui ao médico, fiz novamente os exames laboratoriais e o resultado obtido foi que cinco nódulos haviam reduzidos seu volume, porém o nódulo em que deveria ser feito a biópsia permanecia da mesma forma. Não me abalei! Senti que estava indo pelo caminho certo, e que esse era o caminho da minha cura.

Continuei com os tratamentos naturais em casa, fazendo tudo conforme aprendido nas clínicas. Em junho de 2011, realizei novamente o acompanhamento dos exames laboratoriais e dessa vez, todos os nódulos tiveram redução. As reduções do volume dos nódulos não são de forma rápida, são em milímetros (mm), e um milímetro é considerado um super progresso! A cada um mm reduzido era uma vitória para mim e sempre muito comemorada. Essa experiência me fez ver o grande amor que Deus tem por nós. Em nenhum momento me senti só, pois tinha Jesus comigo. Quando vinha alguma tristeza, logo minhas lágrimas paravam e de uma maneira especial sentia paz. Quando estava fraca, logo ficava forte, e em cada comemoração de alegria por um mm a menos, Jesus se alegrava e comemorava junto comigo. E já se passaram dez anos e desde 2018 os exames não detectam nódulos em meu corpo.

Então lhe disse: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou.

Lucas 17:19

Que o Senhor nos dê sabedoria e força necessárias para que sejamos fiéis reformadores da saúde. Amém.

Juliane Esbizero,

Farmacêutica Clinica da Secretaria de Saúde do Estado do Amapá

3 comentários em “An Alternative Path to a Cure”

  1. CHIRLEY GOMES DE ALCâNTARA ROCHA

    😊😍 com Deus somos mais que vencedores; parabéns! Sua vitoria tbm comemoro. Feliz e mui grata em conhecê -la. Deus te abençoe sempre!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Girl writes in journal
The Girl Writes is a space created by women for women. Everything in a faith-based perspective. No adaptations necessary. Learn more.

Related Posts

Decifrando a depressão

Depressão e Religião

Infelizmente, muitas pessoas têm utilizado a religião como desculpa para não buscar apoio e suporte profissional quando problemas emocionais ou mentais estão em jogo. Mas deveria ser assim?

LER MAIS »
pt_BR