Madalina + Ruben—Uma história de amor em JPEG

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Foi em 2017 que uma moldava, que mora em Portugal, e um peruano, que morava no Brasil, com uma distância de 7837 km, começaram a conversar.

Bem no início do ano recebi uma mensagem de um completo desconhecido, como resposta a uma foto da paisagem de uma praia. Ele iniciou a conversa perguntando que praia era aquela. No meu mínimo interesse, não fui nem ver o perfil dele, assumindo desde o início que era alguém de Portugal que estaria me perguntando e respondi apenas com o nome e a localização da praia. Depois de algum tempo sem contato algum, voltei a receber mensagens dele pelo Instagram. Numa dessas mensagens ele perguntou: “você é da IASDMR?”. Na minha cabeça só veio: Pronto! Agora é que eu tenho mesmo que responder, se ainda não nos encontramos em alguma conferência, ele só vai lembrar de mim como aquela que não lhe respondeu.

Quando eu e minha família fomos para a Moldávia, porque a minha irmã iria casar-se brevemente, nossas conversas tornaram-se diárias. Na mesma época, ele, o Ruben, viajou para o Peru, então aquela distância imensa aumentou mais ainda (11864 km) com diferença de horário. Eu acordava quando ele ia dormir, e ia dormir quando ele acordava. O que ele não sabia, é que eu não respondia às mensagens de boa noite dele para no dia seguinte ter motivo para lhe escrever. Conversávamos sobre igreja, cultura, religião, família, música, fotografia e na medida que nos conhecíamos mais, começamos a orar um pelo outro.

A primeira vista

Voltei para Portugal, ele para o Brasil e agora já conversávamos quase todos os dias por chamada. Em dezembro de 2018, ele veio para a Europa, conheceu vários lugares e deixou para último destino o nosso primeiro encontro da vida! Esse encontro me deu tanto frio na barriga que até hoje o sinto quando me lembro daquele dia. Ele conheceu a minha família inteira, incluindo a minha gatinha Zaura. Acho que o maior medo dele era conhecer a Zaura e ela não gostar dele, porque até hoje ele me pergunta se eu namoraria com ele se a Zaura não tivesse gostado dele :D. Passeamos bastante, comemos muito, nos conhecemos mais ainda e dia 24 de dezembro começamos a namorar. Passamos umas duas semanas juntos até que chegou o dia de ele ir embora. Choramos na despedida, mas ele foi embora deixando-me com a promessa de que voltaria.

Em maio de 2019, como presente de aniversário, eu pedi para os meus pais uma viagem ao Brasil. Estava estudando e, por isso, o máximo que consegui passar lá foi uma semana. Viajei com a minha mãe, pela primeira vez na nossa vida, para um país tão diferente de tudo o que eu conhecia e um continente novo. Conheci a mãe, a família e amigos dele. Foi tudo incrível! Num piscar de olhos, eu já tinha que voltar para Portugal. O aeroporto inteiro nos viu chorar. Mas estava voltando com um sentimento de que a nossa relação evoluiria para um casamento no futuro.

O pedido de casamento

Dezembro de 2019 o Ruben mudou-se para Portugal. Viajamos com a minha irmã e a família dela para a Sérvia, Hungria e Itália. Em 2020 começou a pandemia e nós só conseguíamos ser gratos por estarmos juntos e não a milhares de quilômetros. E foi nesse ano que o Ruben me pediu em casamento. Foi completamente surpresa e eu não sei como conseguiu. Ele combinou tudo com a minha prima ucraniana que não fala português. Mas ele conseguiu me surpreender. Em julho nós saímos para fotografar a minha sobrinha que estava aniversariando. Fomos à praia para, supostamente, fotografá-la, e quando chegamos comecei a ver umas pétalas e velas na areia. Parei logo e disse ao Ruben: vamos parar, pois alguém está fotografando aqui. Só percebi que tudo aquilo era para mim, quando vi alguns amigos saírem de trás das rochas.

O casamento

Depois disso é que o desafio verdadeiro veio. Com a pandemia não conseguíamos marcar nada, porque toda hora as leis mudavam. Parecia que o processo não andava, começava a tornar-se desesperador. Foi então que decidimos marcar horário especial para orarmos todos os dias, especificamente, pelo nosso casamento.

E assim os milagres começaram a acontecer. De forma inesperada em 2021 recebemos a autorização das autoridades de migração para nos casarmos, recebemos a marcação para o registo civil, o lugar para fazer o casamento e tudo correu de forma perfeita, mesmo que não como nós planejamos.

Dia 16 de setembro de 2021 nos casamos na Moldávia.

por Madalina

(Siga a Madalina e Ruben no Instagram para acompanhar suas fotos lindas!)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Girl writes in journal
The Girl Writes is a space created by women for women. Everything in a faith-based perspective. No adaptations necessary. Learn more.

Related Posts

Cartas vivas

Na década de 1900, elas eram o “Whatsapp” do momento. Fico imaginando a sensação de saber que uma carta havia acabado de entrar na caixa

LER MAIS »
pt_BR